Transando no Hospital

Sou bem fogosa, e essa história já aconteceu há algum tempo com um ex namorado meu. Tínhamos uma relação extremamente ativa. Ele reclamava que meu libido era muito alto, mas sempre deu bem no “couro”. Sempre tive tesão em transar em lugares inusitados, e um deles em um hospital! Uma familiar estava hospitalizada e eu era uma das pessoas que ficavam acompanhando ela. Meu ex-namorado sempre ia me buscar. E neste dia havia acordado subindo pelas paredes, mesmo depois de uma noite quente de sexo. O hospital era do exercito, e haviam três partes bem divididas: o ambulatório, a emergência e as enfermarias. Estava na enfermaria, e havia passado o dia inteiro analisando cada parte do hospital para ver em qual eu poderia realizar meu desejo sem correr maiores riscos de ser pega, literalmente, com a boca num pau bem gostoso! Havia percebido o horário de troca de guarda a noitinha, e que o ambulatório não ficava totalmente fechado. Durante o dia mandei torpedos avisando que ele iria me comer bem gostoso num lugar que eu sempre queria. Que de tanto tesão já havia me tocado durante o dia, mas a adrenalina estava me consumindo. Bom, ele chegou, e já chegou com cheiro de tesão! Abraçando-me por trás e me mostrando que já estava desde cedo pronto… O que me deixou mais louca ainda. Disse-lhe que chegaria a hora, e que ele não poderia reclamar, só me obedecer, pois ele era muito medroso. Próximo do horário de troca descemos e eu fiquei fazendo hora perto da entrada do ambulatório, quando o soldado que fazia a guarda se distanciou eu disse que tinha chegado a hora. Ele não quis entrar de imediato, mas eu disse que queria me sentir sua puta ali dentro, colocando um dos dedos dele na minha boca que estava cheira de água! Na hora ele entrou… Fomos para um consultório, fechamos a porta e ligamos a lanterna de um celular, para não deixar o ambiente totalmente claro e dar tempo de terminarmos o que queríamos. Havia um jaleco dentro. Ele vestiu e entrou no clima da minha fantasia! A esta altura minha buceta já latejava eu só queria fuder muito!!!!!! Mandou-me sentar na maca e abrir os botões da minha blusa, obedeci. Com a maior cara de cachorro ele tirou meus seios grandes do sutiã, passou a mão, e perguntou o que havia de errado neles… Disse que eles estavam acumulando muito tesão, que estavam precisando ser mamados, e ele já se jogou com a boca neles. Sinto tanto tesão nos mamilos que chego a gozar só com eles. Queria começar gozando assim, mas ele não deixou. Me pegou pelos cabelos e mandou eu tirar a calça e voltar para a maca. Com ele puxando meus cabelos e me beijando obedeci, e tirei numa velocidade gigantesca… Tirei junto a calcinha, quando ele percebeu perguntou pq havia tirado, que queria ter rasgado ela do meu corpo. Sempre quis que ele tivesse feito isso… Terminamos e ele não rasgou nenhuma, mas só de ter ouvido isso meu corpo inteiro tremia. Subi novamente na maca, ele chupou mais meus seios, tentava controlar os gemidos e não conseguia. Enquanto isto tocava minha buceta e colocava seus dedos inteiramente molhados do meu tesão na minha boca. Tremia… Minha vontade era de gritar… Urrar… Mas não podia… Ele abriu minhas pernas, e caiu de boca…. Nossa…. Em poucos momentos na vida havia sentido tanto prazer, gozava várias vezes seguidas, uma atrás da outra por uns 5 minutos. O rosto dele era só meu gozo, gozo que tirei todo o beijando e chupando enquanto ele estocava na minha buceta, me deixando louca de tesão novamente. Empurrei-o para sair da maca, fui até a escrivaninha do médico, e sobre os papeis que estavam lá me debrucei, pedindo que ele me fudesse. Ele enfiava com tanta força aquele pau grosso na minha buceta que eu não demorei em gozar novamente. Desta vez fazendo mais barulho. Ele fechou minha boca com sua mão, e disse que queria ver eu gritar agora…. Abriu minha bunda de forma que meu cuzinho ficasse bem aberto e cuspiu nele. Tentei pedir que não, pois estava muito gostoso da forma que estava, mas ele não me deu ouvidos. Começou a enfiar com força, sem dar ouvidos às tentativas de pedidos que eu fazia. Mas logo era eu mesma que puxava sua bunca na tentativa que ele enfiasse mais em mim… Ele não conseguiu segurar por muito tempo e logo gozou. O que me deixou frustrada! Pois queria ainda mais! Saímos dentro do ambulatório, e um soldado perguntou o que fazíamos ali…. Disse que havia passado mal e tinha entrado para procurar alguém, ele quis me interpelar, mas saímos sem dar mais ouvidos a ele. Queria logo sentir mais daquele pau, íamos para casa, mas a vibração da moto na minha buceta não deixou e paramos no meu do caminho. Mas isso é um assunto para mais uma nova postagem! Espero que gostem. Eu amei!

One thought on “Transando no Hospital

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *